quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Juíza Carolina Lebbos autoriza transferência de Lula para São Paulo


Imagem: Produção Ilustrativa / Folha Política
A juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena do ex-presidente Lula, autorizou sua transferência para o Estado de São Paulo. A juíza atendeu a pedido formulado pela Superintendência Regional da Polícia Federal no Paraná, anotando que o Município de Curitiba, a Assembleia Legislativa do Estado do Paraná e os moradores do entorno da cadeia também pediram a transferência do ex-presidente. 



Ouça: 


A juíza apontou que, embora a prisão de Lula na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba tenha sido adequada em um primeiro momento, não há mais motivos para a manutenção desse arranjo. 

Leia também: 
Delegado do partido de Bolsonaro coloca Eike Batista contra a parede na CPI do BNDES
General retruca jornalistas sobre suposta 'retaliação' de Bolsonaro e 'guerra comercial' de China e EUA
Bolsonaro anuncia medida que cortará milhões da mídia e beneficiará empresários
Presidente do BNDES indicado por Bolsonaro anuncia devolução de R$40 bilhões ao Tesouro Nacional
‘Determinações manifestamente ilegais não podem e não devem ser cumpridas’, diz Modesto Carvalhosa sobre ‘inquérito de Toffoli’


A juíza também anotou a “persistência no descumprimento das ordens judiciais, implicando contínuo e permanente transtorno aos moradores da região, voltada ao uso residencial”, por parte dos seguidores do ex-presidente Lula. 

Lebbos concluiu: 

No caso, como já explicitado, as razões de segurança, preservação da ordem e administração da justiça inicialmente presentes não mais justificam a manutenção do apenado no local da condenação. Para além disso, a situação ora verificada tem trazido, a cada dia, contínuo e crescente prejuízo ao interesse público, com o emprego de recursos humanos e financeiros destinados à atividade policial na custódia do apenado.
E, mais, na linha exposta pela Defesa, a transferência propicia a permanência do custodiado em local mais próximo ao seu meio social e familiar. 
Diante de todo o exposto, constata-se a plena pertinência de transferência do executado ao Estado de São Paulo, onde em princípio poderá o executado ser custodiado com a segurança necessária ao caso, em condições adequadas e em atendimento ao interesse público, nos termos acima expostos.
Veja também: 








Gazeta Social
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...