domingo, 13 de janeiro de 2019

Argentina, Chile, Peru e Costa Rica condenam sequestro do presidente interino da Venezuela


Imagem: Produção Ilustrativa / Folha Política
Os governos da Argentina, Chile, Peru e Costa Rica já emitiram notas condenando o sequestro do presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, por agentes do serviço de inteligência do ditador Nicolás Maduro. 

Ouça: 


A nota da Argentina diz: “O Governo argentino se solidariza e apoia o deputado Juan Guaidó e sua família frente ao incidente sofrido hoje, 13 de janeiro, em que foi detido por algumas horas por integrantes do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (SEBIN). Este episódio, que atenta contra as liberdades civis e políticas dos venezuelanos, neste caso na pessoa do Presidente da Assembleia Nacional (AN), ratifica a imperiosa necessidade de restabelecer na Venezuela a ordem democrática e o respeito aos Direitos Humanos. O Governo argentino espera que o regime de Maduro possa assegurar as liberdades civis, políticas e de movimento da oposição venezuelana, assim como sua integridade física, abstendo-se de qualquer ato de intimidação e hostilização como o sofrido pelo Presidente da Assembleia Nacional, único órgão constitucionalmente legítimo desse país”. 

Leia também: 

A nota do Chile diz: “O Governo do Chile condena, nos termos mais enérgicos, a detenção, esta manhã, por quase uma hora, do Presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, deputado Juan Guaidó, por parte da polícia política venezuelana. O Governo do Chile reitera seu apoio irrestrito à Assembleia Nacional, único órgão legítimo e democraticamente eleito na Venezuela, e exige que o regime venezuelano ponha fim a estes atos de amedrontamento contra a oposição democrática. O Chile reitera sua solidariedade, junto com o Grupo de Lima e grande parte da comunidade internacional, com os democratas venezuelanos que lutam pela liberdade e pela democracia em seu país”. 

A nota do Peru diz: “O Governo do Peru condena a detenção arbitrária e ilegal do Presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, efetuada esta manhã por  integrantes do serviço de inteligência do regime de Nicolás Maduro. O Governo peruano reitera seu pleno apoio à Assembleia Nacional da Venezuela, único órgão constitucional eleito democraticamente e legítimo nesse país, e a seu presidente Juan Guaidó. O Governo do Peru demanda ao regime de Maduro que respeite os direitos e as liberdades dos cidadãos venezuelanos e de todos os membros da Assembleia Nacional, a fim de evitar qualquer ação violenta que ameace o processo de restabelecimento democrático na Venezuela”. 

A nota da Costa Rica diz: “O Governo da Costa Rica expressa seu repúdio e a mais enérgica condenação pela detenção arbitrária do Presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, o legislador Juan Guaidó, por parte do regime de Nicolás Maduro. Da maneira mais veemente, repudiamos este atropelo contra a institucionalidade democrática do povo irmão da Venezuela, e expressamos nossa firme solidariedade com os líderes democraticamente eleitos de sua Assembleia Nacional. Estas depreciáveis atuações do regime confirmam a ruptura da ordem constitucional e do Estado de Direito nesse país, e frente a isso a comunidade internacional deve responder com firmeza e determinação. A Costa Rica reitera que não reconhece a legitimidade do regime de Nicolás Maduro e, da mesma forma, sua chamada para a realização de novas eleições presidenciais com todas as garantias necessárias de um processo livre, justo, transparente, democrático e legítimo, como merece o povo venezuelano”. 

Veja também: 










Gazeta Social
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...