segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Em entrevista após atentado, Bolsonaro se emociona e diz que Adélio Bispo não agiu sozinho


Imagem: Produção Ilustrativa / Folha Política
O candidato do PSL nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, deu a primeira entrevista após o atentado que sofreu durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG) no último dia 6. A conversa com o jornalista Augusto Nunes, da Rádio Jovem Pan, foi realizada no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e transmitida pelas redes sociais. O candidato chorou e disse ter convicção de que o agressor Adélio Bispo de Oliveira não agiu sozinho.


Ouça: 



"Não acredito que ele agiu sozinho, ele não é tão inteligente assim. Ele foi para cumprir a missão", disse. Bolsonaro ainda classificou o episódio como atentado político. 

"Me tirando de combate, os três próximos candidatos são todos parecidos." 

Leia também: 
Militantes tentam fazer 'mega manifestação' contra Bolsonaro em Petrolina, Pernambuco, e passam vergonha; veja vídeo
Delegado adverte sobre as urnas eletrônicas e diz que peritos da PF irão monitorá-las; veja vídeo
Cidadãos paralisam a Esplanada do Ministérios, em Brasília, durante carreata pró-Bolsonaro; veja vídeo
Reação a manifesto de artistas anti-Bolsonaro faz ‘Rouanet Não’ atingir 1º lugar no Twitter


O candidato ainda deu detalhes sobre o momento do ataque, quando acreditou que havia levado um soco no estômago. "Só vi um vulto e não teria condições de dizer qual a cara dele. Quando eu caí disse que tinha levado uma porrada, igual bolada que a gente leva no futebol", explicou. Ele disse que já havia alertado sua equipe de segurança que conforme sua popularidade nas pesquisas de intenção de voto crescesse, mais risco ele correria nas ruas.

Bolsonaro ainda defendeu penas mais duras contra criminosos, incluindo a extinção da pena progressiva. "Estou vivo por milagre. Quem comete um crime precisa ser punido conforme a lei e sem dar ouvidos para entidades de direitos humanos. Eles falam que preso vive em más condições, mas em más condições estaria a minha família se eu tivesse morrido."

Ao final da entrevista, o candidato aproveitou para criticar o PT, reforçar que não aceitará indicações de cargos em seu eventual governo e pedir união do País.

Se você concorda com Bolsonaro e acredita que houve outros participantes e até mesmo mandantes neste atentado, curta este vídeo e compartilhe esta postagem!


Veja também: 







Com informações de Jovem Pan e Ana Carolina Neira, de O Estado de S.Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...