segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

'Querem transformar o Brasil em consumidor de produtos chineses e acabar com a nossa indústria e milhões de empregos', afirma o presidenciável Levy Fidelix; veja vídeo


Imagem: Produção Ilustrativa / Gazeta Social
Levy Fidelix, ao se apresentar como pré-candidato à Presidência, indicou alguns dos principais problemas que pretende enfrentar. Segundo Fidelix, o país precisa resgatar a identidade nacional, atacada pelos governos há 30 anos. 


Tratando das fronteiras, Fidelix disse: "estão deixando entrar armas e drogas, e querem inclusive, com a nova estrutura política de imigração, trazer para cá todo tipo de gente que a gente nem sabe a origem e instalar guetos, principalmente no centro-oeste e na Amazônia, de pessoas que não têm nada a ver com o nosso país e que vêm pra cá para fazer uma verdadeira guerra civil, com território e armas. Quero denunciar isso hoje e dizer: não vamos deixar!".

O presidente do PRTB enfatizou o desejo de resgatar a brasilidade e a necessidade de recuperar empregos: "Enéas já dizia que a destruição da pátria passa exatamente pela destruição da brasilidade, construída em 500 anos e querem destruir em 30, querem nos transformar simplesmente em mais uma naçãozinha consumidora de produtos chineses. E isso não vai acontecer. Se depender de mim, e com o apoio de vocês, não vamos deixar acontecer. Queremos resgatar o emprego perdido do pai de família, da dona de casa, do jovem, que estão aí na rua - 14 milhões de desempregados".

Fidelix lamentou o resultado de políticas econômicas equivocadas: "A que ponto chegamos? Uma terra riquíssima, a maior nação em riqueza do planeta, com agricultura espetacular, fauna, e acima de tudo os minérios, tudo isso querem jogar fora, em troca de falarmos simplesmente a língua da internacionalização. Esse projeto está em andamento, mas terá que passar por cima do cadáver de 200 milhões de brasileiros. Não conseguirão, porque nós somos brasileiros, somos verde e amarelo, que é a nossa cor, a cor da nossa brasilidade".

O candidato disse ainda que não pretende fazer uma campanha suja: "Não vamos fazer uma campanha de apontar dedo contra A ou contra B, não vamos fazer essas caminhadas Brasil afora, como alguns estão fazendo. Nós, para começar, seguimos as normas legais: primeiro, homologa-se o nome de alguém; a partir daí, ungido por essas normas legais, a pessoa pode ir às ruas e dizer que está à disposição da população. Alguns estão há um ou dois anos em pré-campanha, o que é lamentável. Esses institutos de pesquisa colocam pessoas que nem são candidatos, nem  filiados a partidos, verdadeiros fakes, para desviar a atenção da população. Um dia é este o candidato, amanhã é outro".

Levy Fidelix lembrou ainda que não está envolvido na Lava Jato: "Não tenho medo, não. Já fizeram um pente-fino na minha vida e sabem que eu sou blindado pela honestidade".

Leia também:
Ex-presidente do STF defende a prisão após condenação em segunda instância e o fim do foro privilegiado
Desembargador relator da Lava Jato alerta para reações contra operação


Veja também:





Gazeta Social
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...