segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Lula tem 'surto de cinismo' e desafia o juiz Sergio Moro a provar que ele 'desviou um real sequer'


Imagem: Produção Ilustrativa / Gazeta Social
Recebido como a principal atração no 14º Congresso do PCdoB, que acontece neste final de semana, em Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um discurso que teve de tudo um pouco: atacou o juiz Sérgio Moro, o Ministério Público e a Polícia Federal; disse que Jair Bolsonaro tem o direito de ser candidato a disputar a Presidência da República; que a Câmara é composta por reacionários e trogloditas; que Michel Temer e sua turma são usurpadores; e fez uma defesa de seus dois governos. 


Ao criticar o pedido feito pelo Ministério Público de bloquear R$ 24 milhões de suas contas, o petista aproveitou para criticar Moro. 

"Não sei se vocês são católicos. Olhem a provação que estou passando. Provei minha inocência. E agora vem um cidadão, que não sei quem é e pede o bloqueio de R$ 24 milhões. Esse cidadão, que não tenho ideia quem seja, precisa ter a decência de dizer onde tenho esses R$ 24 milhões. Já fui condenado por um apartamento que o próprio juiz disse que não tenho. Esse juiz (se referindo a Sérgio Moro) está com rabo preso com a Rede Globo. E não tem como sair. Inventaram uma mentira e não tem como sair dela", disse Lula em seu discurso. 

Leia também: 

Na sequência, o ex-presidente afirmou "desafiar" os procuradores, a Polícia Federal e o juiz Moro a provarem que ele juntou R$ 1 real que seja na sua vida que não fosse legal. 

"Não tenho rabo para prender. Não estou acima da lei. Só quero respeito. Quando a Polícia Federal invade a casa de alguém e acha dinheiro aí ela adora mostrar os dólares, as joias. E quando entra na minha casa, nos quartos do meu filho, abrem a tampa do fogão, levantam o colchão e não encontram nada aí esse sacana tem a obrigação de chamar a imprensa e pedir desculpa", afirmou. 

Ao falar de eleição de 2018, Lula disse que ninguém irá criar cizânia entre ele a deputada estadual Manuela d´Ávila pelo fato de o PCdoB tê-la lançada pré-candidata à Presidência da República. Ele falou da ligação histórica do PT com os comunistas. 

"Quero dizer da minha eterna gratidão ao PCdoB. A relação que mantenho com vocês é histórica. Vem de 40 anos. Não pense que você, Manuela, sendo pré-candidata isso irá criar rusga entre nós. Eu e o PCdoB continuaremos companheiros e na luta". 

Lula falou da candidatura de Bolsonaro e defendeu o direito dele de ser disputar o Palácio do Planalto. E o criticou. O petista disse que o consideram de extrema esquerda por defender temas como a regulação dos meios de comunicação e que tratam Bolsonaro como de extrema direita. 

"Não sou de extrema esquerda. E o Bolsonaro nem é de extrema direita. O Bolsonaro é mais que isso. Mas não vou dizer o que ele é. Ele tem o direito de ser candidato e de convencer as pessoas e o Brasil. Mas vai colher o que plantar" - afirmou. 

O ex-presidente criticou o governo Michel Temer e o Congresso Nacional e afirmou que, juntos, estão acabando com as conquistas de seu governo, como o investimento em ensino público, o pré-sal, direitos trabalhistas e previdenciários, entre outros. Acusou o governo Temer de fazer um desmonte de tudo que construiu. E atacou também a reforma trabalhista. 

"Estamos quase voltando a escravidão. Trabalhar para ganhar quase zero. Esse governo acabou com as horas extras de sábado e domingo, com a estabilidade da mulher gestante...Estamos fragilizados na luta. Esses congressistas não têm compromisso conosco. Nunca vi tanto deputado reacionário. Tanto troglodita. E, se não tomar cuidado, vai piorar". 

No final, Lula foi saudado pelos participantes do congresso do PCdoB com o bordão "Lula guerreiro do povo brasileiro".

Veja também:





Evandro Éboli
Gazeta do Povo
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...