segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Gleisi surta após General Mourão afirmar que está preparado para intervenção militar 'se for necessária' e 'pede a cabeça' do militar


Imagem: Produção Ilustrativa / Gazeta Social
A senadora ré e presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, ficou indignada com as declarações do general Hamilton Mourão, que, respondendo a perguntas sobre a possibilidade de intervenção militar, afirmou que o Exército está atento e intervirá se o Judiciário não cumprir sua função de afastar os corruptos do poder. Segundo o general, “Ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso”. Gleisi, que é ré por corrupção e vem sendo citada em inúmeras delações mas permanece senadora graças ao foro privilegiado, pediu punição para o general. 



Veja  o trecho da fala do general que causou polêmica:  




Leia abaixo a nota de Gleisi Hoffmann: 

O Partido dos Trabalhadores conclama as forças democráticas do País a repelir, com veemência, a gravíssima manifestação do general chefe da Secretaria de Economia e Finanças do Exército Brasileiro, Hamilton Mourão.
Ao pregar publicamente uma intervenção das Forças Armadas sobre as instituições da República, um novo golpe militar, este oficial não só desrespeita os regulamentos disciplinares, mas fere frontalmente a Constituição e ameaça seriamente a Democracia.
Leia também:
Juiz federal cancela cartão do Santander e sugere que todos os que pensam que ofensa não é arte façam o mesmo
Dono da Riachuelo pede à procuradora cuja ação vai levar ao desemprego no RN: 'deixe o ódio de lado e nos deixe trabalhar'
'Temer é o chefe do quadrilhão congressual. Que vergonha para o Brasil!', lamenta Levy Fidelix; veja vídeo



O episódio, ocorrido sexta-feira (16) numa reunião em Brasília, é ainda mais grave porque o general Mourão afirma que suas posições correspondem às do Comandante Geral e do Alto Comando do Exército.
Cabe recordar que, em outubro de 2015, por fazer manifestação no mesmo sentido antidemocrático, este personagem foi punido com a perda do Comando Militar do Sul, o que demonstrou, na época, o isolamento de suas posições.
A nova transgressão requereria imediatas providências por parte do Comando-Geral do Exército e do Ministério da Defesa, para ratificar o compromisso das Forças Armadas com a Constituição e impedir que fatos como estes se repitam. Preocupa, em especial, a omissão do governo golpista ante esse fato gravíssimo, pois até agora não houve manifestação ou ação das autoridades competentes em relação ao assunto.
O que o Brasil precisa é recuperar o processo democrático rompido com o golpe do impeachment; precisa de eleições diretas com a participação de todas as forças políticas, e não retornar a um passado sombrio que tanto custou superar.
Gleisi Hoffmann
Presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores
Veja também:





Gazeta Social
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...