quarta-feira, 27 de maio de 2015

Empréstimo do BNDES à República Dominicana beneficiou a Andrade Gutierrez


Imagem: Wikipedia
Um documento da Câmara dos Deputados da República Dominicana revelou os custos de um empréstimo feito àquele país pelo BNDES, para obras de uma represa a ser tocada pela Andrade Gutierrez. São quase US$ 250 milhões, que custarão Libor mais 2,3% ao ano, com 12 anos para pagar. Uma taxa baratíssima, quando comparada às de mercado. "Esse empréstimo permitiu a Andrade Gutierrez ganhar um contrato que certamente dará bons retornos à empresa", diz João Pinho de Mello, professor de microeconomia do Insper. "Mas, se fosse aplicado em infraestrutura, educação ou um sem-número de coisas [das quais o país é carente], daria um retorno muito maior do que Libor mais 2,3% pré-fixado." Para ele, o benefício privado está claríssimo. "Já o benefício público é bem menos claro", diz. 
Leia também: 


Para Pinho de Mello, a divulgação desse documento reforça a importância da derrubada do veto presidencial à transparência do BNDES. O banco público também teve custo de captação muito maior do que o retorno obtido com o empréstimo. "A coisa mais importante na pauta do Congresso é derrubar o veto da Dilma à transparência no BNDES", diz Pinho de Mello. "Mais importante, inclusive, do que o ajuste fiscal." 

Veja também:


      

Cristiane Barbieri 
Época
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...