quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Filme sobre José Dirceu vai captar 1,5 mi via Lei Rouanet


Imagem: Ed Ferreira / Estadão
A Tangerina Filmes, produtora da cineasta Tata Amaral, poderá captar, por meio da Lei Rouanet, 1,5 milhão de reais, em renúncia fiscal, para produzir um filme sobre José Dirceu. No documentário O Vilão da República, em fase inicial de produção, Tata - que assina trabalhos como Antônia e Hoje - diz querer refazer a trajetória de Dirceu, da Casa Civil à condenação por corrupção ativa e formação de quadrilha.


Em entrevista por e-mail, a diretora preferiu se ater "às respostas relativas ao filme e não ao fato". Quando questionada sobre o que pensa do mensalão, o maior escândalo de corrupção política do país, e sobre a tese de Dirceu, que insiste em se apresentar como vítima de um julgamento político, ela preferiu não se manifestar.

Leia também: 

O documentário vai abordar desde o período em que Dirceu foi ministro-chefe da Casa Civil até o final do julgamento do mensalão - no qual ele foi condenado a 10 anos e 10 meses de prisão. "A ideia é acompanhar a intimidade deste personagem controverso num momento importante de sua vida. Acho que o filme pode ficar interessante e, do ponto de vista criativo, é um enorme desafio", diz Tata.

A cineasta pretende viajar para os EUA, Cuba e Venezuela para ouvir uma "lista grande de pessoas", mas diz que não fará um filme de entrevistas, jornalístico. "É mesmo um documentário de observação. Acho que, no Brasil, não temos a tradição de tematizar acontecimentos no calor do momento. Este será mais um desafio do filme: trabalhar com o atual, o contemporâneo, o 'hoje'", afirma.

De algumas entrevistas preliminares, Tata já conta com quase vinte horas de material. "Tenho acompanhado José Dirceu, sim. É muito interessante partilhar do cotidiano de uma pessoa num momento tão decisivo de sua vida", diz.

Veja também: 




Veja
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...