terça-feira, 23 de setembro de 2014

Câmara processa juiz por dizer que há corrupção no Congresso

Imagem: Folhapress
A Câmara dos Deputados, por meio de seu presidente, Henrique Alves (PMDB-RN), resolveu processar o juiz Márlon Reis (foto), um dos idealizadores do movimento que resultou na Lei da Ficha Limpa.

Henrique Alves (que no momento disputa o governo do Rio Grande do Norte) enxergou uma ofensa numa participação de Márlon Reis numa reportagem do programa “Fantástico”, da TV Globo, veiculada em 8.jun.2014.

sábado, 13 de setembro de 2014

Após apedrejamento, casa de torcedora que xingou goleiro Aranha é incendiada em Porto Alegre

Imagem: Luciano Leon/Raw Image
Fogo atinge um porão e queima parte do assoalho da residência, que está desocupada desde os atos racistas contra o goleiro Aranha

A gremista Patrícia Moreira da Silva, flagrada chamando o goleiro Aranha, do Santos, de 'macaco' no fim de agosto, em partida na Arena, teve parte da sua residência incendiada nesta sexta-feira, como forma de represália por seus atos. A casa, localizada no bairro Passo das Pedras, na zona norte de Porto Alegre, está desocupada desde o episódio na partida pela Copa do Brasil.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Vítima reage a tentativa de assalto e é presa por porte ilegal de armas

Caseiro diz estar assombrado com a
violência na região. (Foto: Valdivan Veloso/G1)
Sítio localizado em Montes Claros já foi assaltado em 2014.
Proprietário de 46 anos atirou contra ladrão que fugiu sem ser atingido.

Um homem de 46 anos foi detido no início da noite desta segunda-feira (8) após ser vítima de uma tentativa de assalto em Montes Claros (MG). Segundo a Polícia Militar, com ele foram encontradas duas armas, um revólver calibre .22 e uma cartucheira calibre .32 com munições.

Marta Suplicy diz que Vale Cultura será aceito em baile funk

Imagem: Divulgação
A ministra da Cultura, Marta Suplicy, afirmou nesta terça-feira (9) que o vale-cultura, benefício de R$ 50 dado aos trabalhadores que ganham até cinco salários mínimos para ser gasto com produtos culturais, também poderá ser usado em bailes funk.

"O vale-cultura poderá ser usado em bailes funk, desde que haja música ao vivo. As operadoras têm que credenciar os equipamentos culturais. Da nossa parte (o credenciamento de baile funk) não tem problema nenhum. É cultura", ressaltou a ministra em entrevista à Agência Efe.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Pai entra em desespero ao ver o filho preso e vídeo se espalha pela internet; veja

Imagem: Reprodução/Facebook
Um vídeo que mostra a consternação de um pai ao ver o filho preso após um assalto comoveu internautas e se espalhou, de forma viral, pelas redes sociais.

No vídeo, expõe-se que o criminoso foi preso após roubar celulares de passageiros de um ônibus. O pai, desolado, expõe seus valores morais e sua decepção com o filho, afirmando que amizade "é teu pai e tua mãe". Veja abaixo:

Medo da morte súbita alimenta indústria de sensores para bebês

Imagem: Divulgação
Câmera com zoom e visão em infravermelho, microfones que captam som ambiente e monitores de movimento na cama. Poderia ser um estúdio de reality show, mas é um quarto de bebê equipado com as últimas novidades da indústria do monitoramento infantil.

O lançamento mais recente vem dos EUA: a tornozeleira Sproutling Baby (US$ 299 ou R$ 677) dá a frequência cardíaca, mede a temperatura, diz se a criança está dormindo e se está fazendo barulho. O "status" do bebê é exibido 24 horas no celular dos pais, em um aplicativo.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Site ironiza candidata fazendo lista de coisas que 'duram mais que as promessas de Marina'

Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Um site fez uma crítica bem-humorada às mudanças no programa eleitoral da candidata Marina Silva, que foi modificado menos de 24 horas depois de ser lançado. 

A velocidade da publicação da errata gerou muitas críticas nas redes sociais, onde chegou a circular a sugestão de que a candidata fizesse o programa 'a lápis'. 

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

STJD exclui Grêmio da Copa do Brasil por atos de discriminação racial

Imagem: Reprodução
O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) decidiu pela exclusão do Grêmio da Copa do Brasil de 2014 em função de atos de injúria racial contra o goleiro Aranha, do Santos, durante partida da equipe gaúcha contra os paulistas pela competição na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, no dia 28 de agosto.

Leia também: 

Ainda cabe recurso da decisão, mas esta foi a primeira vez que um clube brasileiro foi excluído por atos racistas em competições organizadas pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol)

O primeiro a depor, como testemunha do time gaúcho, foi o presidente do clube, Fábio Koff.

"Este julgamento é histórico para o clube, a instituição. Não se limita ao fato ocorrido, ela atinge um clube com 111 anos", lamentou Koff no começo do julgamento.

A procuradoria, a cargo de Rafael Vanzin, utilizou a entrevista de Aranha ao programa Fantástico e cenas do jogo. A defesa do Grêmio, por sua vez, apresentou campanhas com jogadores do clube contra o racismo veiculadas nos canais tricolores nas mídias sociais.

Na sua manifestação, Vanzin mencionou outros casos de discriminação na Arena do Grêmio. Um deles em 30 de março, quando o zagueiro Paulão, do Internacional, foi hostilizado pela torcida tricolor durante clássico Gre-Nal pelo campeonato gaúcho.

A defesa do Grêmio, representada pelos advogados Gabriel Vieira e Michel Assef Filho, destacou que o clube faz campanhas de combate ao racismo. Assef chegou a defender a absolvição do time de Porto Alegre.

"Penalizar quem faz campanha contra o racismo é um absurdo", disse Assef, alegando que uma punição seria um desincentivo a essas iniciativas.

O relator Francisco Pessanha Filho, além de excluir o Grêmio, aplicou multa de R$ 50 mil ao clube e proibiu os torcedores identificados de presenciarem jogos da equipe por 720 dias.

"(A pena) pode não ser a mais inteligente nem justa, mas é o que temos", disse Pessanha Filho, que aproveitou para dar uma resposta a Koff, que indicou que uma eventual punição macularia a imagem do clube:

"Quem está manchando a instituição Grêmio não é este tribunal".

O voto do relator foi seguido pelos auditores Ricardo Graiche, Ivaney Cayres e Gustavo Teixeira. Na noite desta quarta-feira (3), faltava votar ainda o presidente do STJD, Fabrício Dazzi - mas a exclusão já estava sacramentada.

O árbitro Wilton Pereira Sampaio e os auxiliares, denunciados por não terem relacionado a injúria racial na súmula de jogo, foram igualmente condenados: o juiz Wilton Pereira de Sampaio foi suspenso por 45 dias e multado em R$ 800. Os auxiliares e o quarto árbitro foram suspensos por 30 dias e R$ 500. Luiz Cunha Martins, assessor especial, foi absolvido.

Adriano Barcelos
Folha de S. Paulo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...